DIU

Indicações para o

Uso do DIU

O DIU é um método contraceptivo indicado para mulheres que desejam prevenir a gravidez por um período prolongado, geralmente superior a seis meses, sem a necessidade de tomar pílulas anticoncepcionais diariamente. Este dispositivo é ideal para aquelas que preferem evitar hormônios sintéticos ou que têm contraindicações ao uso desses hormônios, como histórico de eventos tromboembólicos.

Benefícios do DIU
Contracepção de Longa Duração: Oferece proteção contraceptiva por vários anos, dependendo do tipo de DIU escolhido.
Comodidade: Não requer manutenção diária, como a ingestão de pílulas anticoncepcionais.
Alternativa para Quem Evita Hormônios: Ótimo para mulheres que preferem métodos sem hormônios sintéticos ou que não podem usá-los por razões médicas.

Embora o DIU seja uma opção segura para muitas mulheres, existem algumas situações em que seu uso não é recomendado. Estas incluem:

  • Gravidez Conhecida ou Suspeita; 
  • Neoplasias Malignas: Mulheres com câncer no útero ou endométrio devem evitar o uso do DIU;
  • Doença Inflamatória Pélvica Ativa;
  • Malformações Congênitas (Anomalias na estrutura do útero);
  • Mulheres com infecções sexualmente transmissíveis ou com alto risco de contrair ISTs.

O DIU é uma escolha eficaz e conveniente para a contracepção de longa duração. 

Tipos de DIU

Hormonal

Descrição: O DIU hormonal é inserido no útero e libera gradualmente progesterona ao longo de cinco anos. Este método é bastante seguro e elimina a necessidade de lembrar de tomar pílulas contraceptivas ou administrar injeções. A progesterona liberada pelo dispositivo age no útero, espessando o muco cervical, o que dificulta a passagem dos espermatozoides e, consequentemente, a fecundação do óvulo.

Modelos Disponíveis no Brasil:

DIU Mirena: Libera o hormônio levonorgestrel, reduzindo significativamente o fluxo menstrual e as cólicas. Aproximadamente 65% das mulheres que usam o Mirena podem parar de menstruar.
DIU Kyleena: Contém uma quantidade menor de levonorgestrel em comparação ao Mirena. Cerca de 59% das usuárias podem parar de menstruar.

Benefícios:

  • Redução do fluxo menstrual e das cólicas.
  • Alta eficácia contraceptiva por até 5 anos.
  • Quantidade mínima de hormônio absorvida pelo corpo, com ação principalmente local no útero.

Tipos de DIU

DIU de Cobre (Não-Hormonal)

Descrição: O DIU não-hormonal, ou de cobre, é inserido no útero e pode permanecer eficaz por até 10 anos. Este tipo de DIU não libera hormônios. Ele funciona espessando o muco cervical e criando um ambiente hostil aos espermatozoides, agindo também como espermicida através de uma reação inflamatória local.

Modelos Disponíveis:
DIU de Cobre: O modelo mais comum.
DIU de Cobre e Prata: Combina cobre e prata, oferecendo um perfil de efeitos colaterais mais brando, com menor aumento do fluxo menstrual e das cólicas.
MiniDIU de Cobre: Versão menor, adequada para mulheres que ainda não tiveram filhos.
MiniDIU de Cobre e Prata: Combina os benefícios do tamanho reduzido com uma ação menos intensa nos efeitos colaterais.

Efeitos Colaterais:
• Possível aumento do fluxo menstrual e das cólicas, especialmente em mulheres que não tiveram filhos.
• O DIU de cobre e prata tende a causar um menor aumento do fluxo e das cólicas.

Como o DIU

é Inserido?

A inserção do DIU deve ser realizada por um ginecologista. O procedimento pode ser feito no consultório médico ou, em alguns casos, no hospital com sedação.

Passo a Passo da Inserção
Preparação: A mulher se deita em posição ginecológica. O médico insere um espéculo vaginal para manter o canal vaginal aberto e ter acesso ao colo do útero.

Limpeza: O local é limpo com uma solução antisséptica para reduzir o risco de infecção.

Avaliação: O médico pode fazer a medição do tamanho do útero e pinçar o colo do útero para facilitar a inserção.

Inserção do DIU: Com o auxílio de um aplicador específico, o DIU é inserido no útero.

Corte do Fio: Após a inserção, o fio do DIU é cortado, deixando cerca de 2 cm do fio visível no colo do útero para permitir futuras verificações.

Considerações Especiais
Durante a Menstruação: A inserção do DIU é frequentemente feita durante a menstruação, pois o canal cervical está mais dilatado, facilitando o procedimento.

Cirurgias Anteriores: Mulheres que passaram por cirurgias no colo do útero, como a Conização de Alta Frequência (CAF), podem necessitar de dilatação do colo ou histeroscopia para a inserção do DIU devido à estenose do canal cervical.

Cuidados Após a

Implantação do DIU

Depois de colocar o DIU, é crucial adotar alguns cuidados para garantir sua eficácia e prevenir complicações:

Evitar Esforços Físicos: Não fazer atividades físicas intensas ou levantar peso nas primeiras 24 horas após a colocação.
Absorventes Externos: Utilizar absorventes externos em vez de internos nos primeiros dias após a inserção.
Confirmação do Posicionamento: Fazer uma ultrassonografia transvaginal para confirmar o correto posicionamento do DIU e evitar relações sexuais desprotegidas até essa confirmação.
Monitoramento de Sinais de Infecção: Ficar atenta a sinais de infecção, como febre, dor abdominal intensa, corrimento vaginal com odor forte ou alterações no sangramento menstrual.

Logo após a inserção, é normal sentir cólicas e observar pequenos sangramentos vaginais. O ginecologista pode prescrever medicamentos para aliviar a dor durante este período.

Remoção do DIU
A remoção do DIU é um procedimento simples e rápido, realizado pelo médico no consultório. Envolve a inserção de um espéculo vaginal e o uso de uma pinça para puxar suavemente o DIU para fora. Após a remoção, é importante seguir as orientações do médico sobre outro método contraceptivo e marcar um acompanhamento. Também é possível colocar um novo DIU imediatamente após a retirada do anterior.

Para saber mais a respeito de colocação de DIU e tirar suas dúvidas, entre em contato e agende uma consulta com a Dra. Judith Pim